PÓS-GRADUADO EM DIREITO PENAL
PÓS-GRADUADO EM DIREITO PENAL
PÓS-GRADUADO EM DIREITO PENAL
PÓS-GRADUADO EM DIREITO PENAL
PÓS-GRADUADO EM DIREITO PENAL
Quinta-feira, 21 de Novembro de 2019
Controle de Processos
Usuário:
Senha:

Newsletter

E-mail:

Previsão do tempo

Sem informações disponíveis

Matriz

Praça dos Três Poderes , Brasília / DF
CEP: 70000-000
Visitantes
20545

Ação contra cassação de aposentadoria de militar expulso é rejeitada por falta de legitimidade

11/10/2019

Por falta de legitimidade da parte autora, a ministra Cármen Lúcia, do Supremo Tribunal Federal (STF), julgou incabível (não conheceu) a Ação Direta de Inconstitucionalidade (ADI) 5746, ajuizada pela Associação Nacional das Entidades Representativas dos Militares Estaduais e Bombeiros Militares do Brasil (ANERMB), para questionar norma previdenciária do Estado do Paraná que prevê a cassação de aposentadoria de militares excluídos de suas corporações.

 
Na ação, a associação questionou a parte final do inciso II do artigo 40 da Lei estadual 12.398/1998. O dispositivo prevê o cancelamento da inscrição do segurado no regime próprio de previdência paranaense quando houver perda de sua condição de servidor público estadual ativo, inativo, militar da ativa, da reserva remunerada ou reformado. Com isso, a norma alcança o militar que, após processo administrativo disciplinar, tenha sido excluído da corporação. 

Em sua decisão, a relatora considerou que não há como reconhecer a associação como entidade de classe de alcance nacional. A ministra também observou que não há heterogeneidade das categorias funcionais que a associação e suas filiadas representam. "O rol de associados da autora consiste em pessoas jurídicas que defendem interesses persos, heterogêneos, em desatendimento à exigência da homogeneidade, ao representar parcela de categoria funcional", afirmou.

Abrangência nacional e homogeneidade das categorias representadas são requisitos constitucionais exigidos para que uma entidade de classe possa ajuizar ação de controle concentrado de leis perante o STF. "As entidades de classe de alcance nacional devem comprovar a representação das respectivas categorias em sua totalidade. Na situação examinada, a autora não logrou demonstrar a representação dos oficiais e dos praças militares em, pelo menos, nove estados da Federação, exigência da jurisprudência deste Supremo Tribunal", concluiu a ministra. 

Leia mais:

27/07/2017 - ADI questiona norma do PR que prevê cassação de aposentadoria de militar excluído da corporação

Fonte:
© 2019 Todos os direitos reservados - Certificado pelo PROMAD - Programa Nacional de Modernização da Advocacia
Desenvolvido pelo INTEGRA
Adimin