PÓS-GRADUADO EM DIREITO PENAL
PÓS-GRADUADO EM DIREITO PENAL
PÓS-GRADUADO EM DIREITO PENAL
PÓS-GRADUADO EM DIREITO PENAL
PÓS-GRADUADO EM DIREITO PENAL
Sexta-feira, 22 de Novembro de 2019
Controle de Processos
Usuário:
Senha:

Newsletter

E-mail:

Previsão do tempo

Sem informações disponíveis

Matriz

Praça dos Três Poderes , Brasília / DF
CEP: 70000-000
Visitantes
20799

Judiciário e Ministério Público atuam em cooperação para atingir bons resultados

10/10/2019

Biênio foi marcado por ótimas relações institucionais.

 

Um, o Poder Judiciário, tem a função de garantir os direitos inpiduais, coletivos e sociais e resolver conflitos entre cidadãos, entidades e Estado; outro, o Ministério Público, tem a missão de defender os interesses da sociedade e garantir os direitos dos cidadãos. O primeiro é exercido por desembargadores e juízes e possui a capacidade e a prerrogativa de julgar, de acordo com as regras constitucionais e leis vigentes; o segundo, tem nos procuradores e promotores de Justiça os agentes atuantes na defesa independente da sociedade e da democracia com o papel de fiscalizar e proteger os princípios fundamentais da sociedade.

Tanto as atividades do Judiciário, como as do Ministério Público, podem ser vistas, analisadas e avaliadas nos corredores dos fóruns do Interior do Estado e nos vários prédios da Capital. 

Na terça-feira (8), o presidente do Tribunal de Justiça de São Paulo, o vice-presidente e o corregedor-geral da Justiça, respectivamente, os desembargadores Manoel de Queiroz Pereira Calças, Artur Marques da Silva Filho e Geraldo Francisco Pinheiro Franco se reuniram, no Palácio da Justiça, com os integrantes do Ministério Público de São Paulo, sob a direção do procurador-geral de Justiça, Gianpaolo Poggio Smanio. Também participaram do encontro a corregedora-geral Tereza Cristina Maldonado Katurchi Exner; o diretor da Escola Superior do Ministério Público, Antonio Carlos da Ponte; os subprocuradores-gerais Lídia Helena Ferreira da Costa Passos (Integração e Relações Externas), Mario Luiz Sarrubo (Políticas Criminais e Institucionais), Wallace Paiva Martins Junior (Jurídico) e Paulo Sérgio de Oliveira e Costa (Planejamento Institucional); Mário Antonio de Campos Tebet (coordenador – Competência Originária Cível); Eurico Ferraresi (assessor da Subprocuradoria-Geral de Justiça Jurídica) e Ricardo de Barros Leonel (diretor-geral).

Segundo o PGJ Smanio, “o Ministério Público tem orgulho da Justiça e confiança nos juízes. São Paulo é um estado diferenciado e isso é fruto do trabalho de seus desembargadores e juízes. Tive a honra de atuar no biênio do presidente Paulo Dimas, agora junto com o presidente Pereira Calças e terei alguns meses junto ao presidente do próximo biênio. O MP é minha vocação. Filho de promotor de Justiça aprendi desde cedo a importância do relacionamento da família forense. Nós nos realizamos no Judiciário levando nossas causas e obtendo nossas conquistas”.

Pelo Judiciário se manifestaram o presidente, o vice-presidente e o corregedor-geral. Em total concordância, os três agradeceram aos integrantes do Ministério Público de São Paulo a harmoniosa e profícua convivência que resulta em frutos para o cidadão em seus conflitos nas mais persas áreas abrangidas pelo Direito.

    

imprensatj@tjsp.jus.br

Fonte:
© 2019 Todos os direitos reservados - Certificado pelo PROMAD - Programa Nacional de Modernização da Advocacia
Desenvolvido pelo INTEGRA
Adimin